Bio_CV

MARIANA VAZ  tem trabalhado in(ter)disciplar(ia)mente entre as artes do espetáculo e as visuais, em diálogo com outros saberes e em diversas parcerias. Seus trabalhos utilizam-se do movimento, texto, vídeo, fotos, dispositivos coreográficos , narrativos, documentais ou ficcionais , em obras-processo como meditações-ativas a perguntas problema que o dia-a-dia evoca. Interessa-se pela possibilidade de fórum-público para ideias-poéticas – em diversos meios e modos – que o trabalho artístico permite. Co-idealizadora  e integrante do núcleo TRÍADE ( desde 2007) e do pOleirO dO bandO (desde 2012). Graduada em Economia e Mestre em Psicologia Social.

MARIANA VAZ has been working inter-disciplinarily across performative and visual arts, in dialogue with other knowledge areas and through different partnerships. Her works make use of movement, text, video, photos and choreographic, narrative, documentary or fictional schemes in process-works that bring forth active meditations on problematic questions evoked by the day-to-day. She is interested in the possibility of public-forum for poetics and ideas – in various ways and means – that the artistic work fosters. She is a co-founder of two collectives hosted in São Paulo/BR: TRÍADE (since 2007) and of pOleirO dO bandO(since 2012). She has a bachelor’s degree in Economics and a Master’s degree in Social Psychology.

 

MARIANA VAZ  é graduada em Economia (FEA-USP) e Mestre em Psicologia Social (PUC-SP). Na última década, tem se aventurado em diferentes linguagens artísticas, com ênfase em performance, intervenção urbana e direção teatral. É sócia-diretora da Parole Produção e Criação (desde 2009). Vive e trabalha entre São Paulo (Brasil) e Toulouse (França).

Na DANÇA, é co-idealizadora, pesquisadora e performer do Núcleo TRÍADE (desde 2007). TRIADE desenvolve pesquisa em dança, performance e arte urbana e já foi reconhecido por importantes editais e fomentos do país: premiado pelo Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo, Prêmio Funarte Klauss Vianna, PROAC de Pesquisa em Artes Cênica, PROAC de Formação e Difusão Cultural, Ocupação da Caixa Cultural e Circuito Cultural Paulista. Participou do Semanas de Dança do CCSP 2013 como grupo convidado e da Bienal Sesc de Dança 2013. Projetos: Bichos da Seda Deslocados, Jardins, Tríade Tour São Bento, Tríade Tour Ipiranga, Triade Tour Santos, Tríade Móbile e Série Cartocoreográfica. Foi intérprete-criadora da Benditas Cia. de Dança (2005 a 2008) e da Cia. Autofalante (2007 e 2008). Colaborou na elaboração de textos e projetos da Cia Nova Dança 4, de 2007 a 2010. Teve a sorte de  fazer amigos que espera levar pra vida inteira, mudar de profissão, assistir performances inesquecíveis e frequentar  festas incríveis no Estúdio Nova Dança, em São Paulo. Ali, formou-se ( e foi formada)  nas aulas de Tica Lemos, Cristiane Paoli Quito, Lu Favoreto, Gisele Calazans, Cristiano Karnas, Livia Seixas, Alex Ratton, Marina Caron, entre outros.

No TEATRO, é co-fundadora do grupo “pOleirO dO bandO”, de pesquisa e criação em teatro (desde 2012), com quem realiza (texto e direção) sua primeira peça infantil – “Família Formigueiro Casa Condomínio” (Prêmio Zé Renato de Teatro 2015 e ProAC LGBT 2014). Também concebeu e dirigiu a audiopeça CLORO|1o Mergulho (ProAC Montagem 2015). Dirigiu e concebeu cenário das peças-instalação “Tão pesado quanto o céu”, de Ricardo Inhan (2013) e “Vigília”, de Cássio Pires, co-direção com Ana Roxo (2012).

Nas ARTES VISUAIS, em parceira com a artista Mirella Marino , realizou o projeto de residências itinerantes e exposição “Vou Voltar” (Proac Artes Visuais 2014). Realizou a exposição “Poleiro”, uma instalação interativa no Sesi Piracicaba (2014). Com colaboração de Mirella Marino e José Silveira, realizou a instalação site-specific “BELVEDERE” na casa de D. Yaya, em São Paulo (2013). NO CINEMA, realizou (escreveu e dirige) o filme “O mordomo do Martinelli”(Edital de co-patrocínio da Prefeitura de São Paulo 2014). Realizou (escreveu, produziu e dirigiu) o curta-metragem e a videoinstalação “Quanto tempo leva um coração para descongelar? (2011).

Em 2014, participou da RESIDÊNCIA INTERNACIONAL “Condensacíon”, no México, com a participação de artistas uruguaios, mexicanos e brasileiros.

EXPERIÊNCIA DIDÁTICA: Concebeu e realizou duas edições do projeto “Catalizador de Intervenções Urbanas Performáticas” ( Sesc Rio Preto, 2015 e Laboratorio Alameda – México DF, 2014), um laboratório para a criação e realização de intervenções urbanas performáticas. Foi artista Orientadora do Programa Vocacional da Secretaria Municipal de Cultura (2012 e 2013). Fez assistência para Tica Lemos nas disciplina de “Improvisação cênica”,  na Escola de Arte Dramática da USP, em 2008 e 2009.

.

Anúncios